PUBLICIDADE

Topo

Nina Lemos

Você é daqueles que não se imagina velho? "Grace e Frankie" pode te ajudar

Nina Lemos

31/01/2018 04h00

"Tem gente que acha que nunca vai envelhecer. Existem aqueles (90% dos jovens?) que acham que só suas vidas são divertidas. A vida dos adultos, nossa, que tédio! Eles pensam que só eles fazem coisas loucas, como ter uma ideia genial com uma amiga e lançar uma marca de vibradores (empreendedorismo, saca?) ou tomar um chá para tentar ter uma visão.

Para esses tipos de gente (e também para nós que sabemos que estamos envelhecendo ou já envelhecemos), assistir a "Grace e Frankie", o seriado estrelado por Jane Fonda e Lily Tomlin no Netflix, é uma boa maneira de começar a ver que as coisas não são nada assim.

A quarta temporada só confirma o quanto Grace e Frankie são atuais e importantes na luta contra o ageísmo (preconceito contra a idade) e todos os estereótioos da velhice.

Nem recatadas e nem do lar

Faz tempo que uma mulher de 70 anos que fica em casa cuidando dos netos é uma imagem caduca (trocadilhos a parte) E nada mais simbólico do que Jane Fonda, a moça com passado rebelde e que continua ativíssima, fosse uma das suas estrelas. A geração de Jane Fonda, que já mudou tanta coisa, agora muda a velhice.

Para quem nunca viu: a série conta as aventuras de duas mulheres de 70 anos que são deixadas por seus maridos porque eles são gays, estão apaixonados um pelo outro, e resolvem casar.

Mas esse é só o começo. Durante as quatro temporadas, elas frequentam velórios, quebram tabus, como abrir uma marca de vibradores para mulheres na terceira idade e cuidam uma da outra, pisando no mito de que  "mulher não pode ser amiga de mulher."

Juntas, por exemplo, elas passam uma tarde toda deitadas no chão porque uma vai ajudar a outra, também cai, e, por causa da idade, elas não conseguem levantar. Que metáfora! E o que era pra ser triste é engraçado. De chorar de rir mesmo.

Pela série, elas nos ensinam que é possível rir de algumas das desgraças que vêm junto com a velhice. "Antes é uma persiana que não funciona, de repente é a casa inteira que cai", diz uma hilária e linda Grace (Jane Fonda) falando de seu corpo.

Jane, importante lembrar, aos 80 anos, é uma ativista empolgada do "Times Up" e do "Me too", os movimentos contra assédio criados pelas atrizes americanas.

Ao divulgar a quarta temporada da serie, ela exibia um curativo na boca, resultado de um cancer que retirou no local. "Não é nada isso, comparado as coisas horríveis que estão acontecendo no mundo", disse

No úlltimo fim de semana, a atriz repetia seu icônico gesto de levantar o braço em sinal de protesto (ela fez isso quando foi presa protestando contra a Guerra do Vietnã) no Festival de Sundance, onde participou de uma marcha de mulheres contra Donald Trump.

Vida e ficção se misturam no seriado, onde Grace, está, por exemplo, revoltada com um condominio de aposentados", onde objetos perigosos de pessoas idosas são confiscados."Tire o bong de alguém e está tirando a sua dignidade", diz uma Frankie hilária e libertaria.

Agora, torcemos por mais temporadas. . O mundo anda precisando de Grace,  Frankie, Lilly e Jane Fonda e suas lições.

Sobre a autora

Nina Lemos é jornalista e escritora, tem 46 anos e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance “A Ditadura da Moda”.

Sobre o blog

Um espaço para falar sobre a vida das mulheres com mais de 40 anos, comportamento, relacionamentos, moda. E também para quebrar preconceitos, criticar e rir desse mundo louco.