Topo
Nina Lemos

Nina Lemos

Musas da Copa: 2018 e o papel da mulher nos jogos ainda é mostrar a bunda?

Nina Lemos

08/06/2018 04h00

Foto: Reprodução/Instagram

A Copa do Mundo começa semana que vem. E isso significa que… em sites de celebridades já podemos ver notícias sobre mulheres seminuas que disputam o título de "Musa da Copa". Como? Também custei para acreditar. Estamos em 2018 e as coisas ainda são assim. Futebol é igual a: "homem machão que gosta de mulher pelada e cerveja." Será?

As novas gerações (ainda bem) não pensam assim. E minha sobrinha de 8 anos está aí para provar. "Manu, o que vai ser quando crescer?" "Jogadora de futebol", ela respondeu na hora, me enchendo de orgulho. Parte da mídia e da indústria (musas geram dinheiro) parecem ainda não ter acordado para essa nova (e boa) realidade

Lembrando do óbvio: futebol não é coisa só de machão (ei, mulheres e gays também gostam de futebol!).  E grande parte dos homens héteros que amam Copa não corresponde a esse estereótipo, certo?

Kardashian Russa

Não no mundo das musas do futebol. Nesse mundo, existe a pergunta: "mas quem será a musa da Copa?" A Russia, país famoso pela beleza das mulheres, tem várias "concorrentes". Mas a mais cotada para musa da Russia, leio, é uma russa de 23 anos chamada Anastasiya Kivitko, conhecida como "Kim Kardashian russa" . Ela ficou famosa e é comparada com a famosíssima Kim por causa do tamanho bunda… enorme. A modelo, que também é conhecida pelos seios fartos, estaria se preparando para ficar conhecida como "musa da copa" de seu país desde 2016, com exercícios, cuidado com a pele etc.

Enquanto isso, participantes do concurso brasileiro "Musas da Copa",  fizeram topless para divulgar o evento essa semana em São Paulo. No concurso, produzido pelos mesmos organizadores do "Musa do Brasileirão" (aff) , cada mulher representa um país. Nas fotos e em público, elas se exibem com fio dental, poses sensuais e camisetas dos países que representam. Existe a musa do Brasil, a musa da Alemanha, a musa do Egito. A musa das musas será escolhida dia 27 de junho em São Paulo.

Chato que a sociedade ainda coloque mulher na posição de competir  pela melhor bunda. Já está mais que na hora de passarmos da posição de bibelô para a de protagonistas. Inclusive porque cada vez mais estamos conseguindo espaço. Sim, mulheres arrasam no futebol cada vez mais também porque entendem de futebol (viva Fernanda Gentil) e jogam (salve Marta!).

Nigéria branca

Ah, e atenção. Pesquisava sobre o concurso, aqui, perdida em teorias, enquanto olhava as fotos das concorrentes e… ué, a imagem era branca… No país onde 55% da população feminina é negra, quase todas as musas são brancas. Dos países africanos, apenas um (Senegal) é representado por uma negra. A musa da Nigéria, por exemplo, é branca.

"Mulher branca com corpo escultural para agradar os homens". No pré-aquecimento da Copa 2018, parece que os velhos estereótipos ainda estão ganhando. Mas quem sabe semana que vem esse jogo não muda? Vamos torcer…

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Nina Lemos é jornalista e escritora, tem 46 anos e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance “A Ditadura da Moda”.

Sobre o blog

Um espaço para falar sobre a vida das mulheres com mais de 40 anos, comportamento, relacionamentos, moda. E também para quebrar preconceitos, criticar e rir desse mundo louco.

Nina Lemos