menu
Topo
Nina Lemos

Nina Lemos

Instagram: o novo confessionário das celebridades monetiza o drama

Nina Lemos

10/08/2018 04h00

Divulgação

No passado (ou ainda hoje, para quem é religioso), se você tinha um problema sério, estava em uma saia justa daquelas, no meio de um enredo que mais parece de novela mexicana, você procurava um confessionário e, ali, contava seu drama, em "segredo de confissão". Os não religiosos (grupo do qual faço parte) contavam essas coisas no divã do psicanalista, que não fizeram voto de silêncio, mas têm uma ética que os norteia e que proíbe que os assuntos se espalhem por aí, o chamado "segredo de divã."

Hoje, alguns famosos e quase famosos arranjaram um novo jeito de desabafar sobre seus dramas e pecados: os vídeos de Instagram. Sim, ao contrário de uma pessoa que supostamente vai te orientar em segredo, você ja vai lá e conta para todo mundo.

O caso mais recente é o da atriz Letícia Almeida, que usou o Instagram para falar sobre a paternidade de sua filha. Resumindo: ela contou que a menina não é filha de seu ex, mas de um amigo. Para complicar mais, o pai verdadeiro é casado com a irmã do seu ex (o que não é o pai da criança).

Sim, um dramalhão mexicano! Complicado? Super. Virou comentário geral? Claro. A atriz disse estar cansada dos boatos. Mas quantas vezes ela amplificou a história ao ligar o Instagram e fazer a confissão para todos os seus seguidores?

Detalhe, os tais rumores vieram das próprias redes sociais, onde os envolvidos fizeram vídeos e divulgaram cartas abertas sobre o caso.

"Quem precisa de teste de DNA do Ratinho?", pergunta um amigo. Realmente, todos os programas estilo "Casos de Família" não fazem mais sentido, já que as pessoas vão lá e fazem auto-exposição de suas encrencas.

Cada um faz o que quer e não temos nada com isso? Claro. Mas na hora em que a pessoa faz uma confissão pública, bem, ela parece estar pedindo a nossa opinião.

Drama monetizado

Esse não é o primeiro nem o último caso. A atriz Renata Banhara, por exemplo, teve todos os detalhes de seu rompimento com seu ex (que é suspeito de agredi-la) narrado no Instagram por ela mesma, com detalhes.

Muitos são as que fazem o mesmo. E nem todos são famosos. Quando se é celebridade (ou quase) apenas existe mais repercussão.

Talvez faça bem para as pessoas essa sensação de se livrar dos problemas contanto para seguidores? Pode ser. Mas também, desculpem, não dá para não pensar em outros fatores (mesmo que inconsciente): drama gera curiosidade, curiosidade gera fama, fama gera like, like leva a dinheiro. Sim, com muitos seguidores no Instagram você pode virar "influencer" e anunciar para marcas. "É tudo por dinheiro", comenta outra amiga, e concluímos que alguns famosos criaram uma outra categoria de drama: o drama monetizado.

Claro que não é assim tão simples. Temos que lembrar que vivemos a era  da exposição máxima. Anos atrás, famosos faziam terapia dando entrevistas para revistas de celebridades. Hoje, ligando o vídeo do celular. A esfera do público e do privado está cada vez mais enevoada para todos nós. E, claro, somos humanos e, de vez em quando, erramos a mão.

De novo, cada um faz o que quer. Agora, ainda existem velhas modalidades de resolver problemas. Uma delas é falar com amigos. "Meus seguidores são meus amigos", dizem uns. Mas jura? Aqueles robôs que te xingam são mesmo seus amigos? Que tipo de amigo, hein? Claro que existe um certo de tipo de seguidor que acompanha, torce. Mas precisa, mesmo, dividir com todo mundo?

E depois as pessoas não entendem porque um programa como o "Big Brother" se desgastou. O BBB agora é todo dia. E, sim, pode ser protagonizado por qualquer um de nós, mesmo os não famosos. Só contar uma história dramática no Instagram. Vai que viraliza. E depois monetize. #medo

Sobre a autora

Nina Lemos é jornalista e escritora, tem 46 anos e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance “A Ditadura da Moda”.

Sobre o blog

Um espaço para falar sobre a vida das mulheres com mais de 40 anos, comportamento, relacionamentos, moda. E também para quebrar preconceitos, criticar e rir desse mundo louco.