menu
Topo
Nina Lemos

Nina Lemos

Trump sobre acusação de assédio: "É um tempo difícil para ser homem." Oi?

Nina Lemos

04/10/2018 04h00

Foto: Mandel Ngan/AFP

"Esse é um tempo assustador para ser um jovem homem nos Estados Unidos." A frase foi dita pelo presidente norte-americano Donald Trump. E, não, ele não estava falando, por exemplo, de jovens negros que morrem assassinados, mas de garotos brancos de classe média, mesmo.

Trump usou essa frase ao comentar o fato de um juiz que ele apoia para a Suprema Corte ter sido acusado de assédio sexual e tentativa de estupro por (até agora) três mulheres. O juiz Brett Kavanaugh teria praticado os atos na época da escola e da faculdade. Sua justificativa: "Eu tinha problemas com álcool na época e posso ter feito algumas loucuras de juventude."

O caso é um escândalo nos Estados Unidos e o FBI abriu investigação. E, essa semana, Trump veio com essa. O problema não é um homem ser acusado de tentativa de estupro. O problema é que está muito difícil ser homem (oh, coitados!), afinal, não se pode mais sair bêbado tentando estuprar meninas na faculdade impunimente? Não é um absurdo?

Segundo ele, hoje, se é considerado culpado antes que se prove inocência, existe uma caça as bruxas. Bem, se as três mulheres estiverem erradas, será provado isso e o juiz não será condenado, certo?

É, presidente, é um tempo difícil para a impunidade de monstros como Harvey Weistein, o poderoso produtor de Hollyood acusado por diversas atrizes de assédio e que motivou a criação do movimento #MeToo. Um tempo difícil esse em que as mulheres não ficam caladas e denunciam os abusos que sofreram. Tadinhos.

Essa não é a primeira nem a última absurda declaração do presidente, mas pior é pensar que muitos homens, no Brasil e no mundo, pensam como ele. Bons eram os tempos em que se podia passar a mão na bunda de mulher, encoxar no metrô, embebedar a menina na festa da "facu" para conseguir transar com ela.

Alguns homens acreditam, mesmo, que são alvo de discriminação por serem homens brancos heterossexuais. Uma pesquisa feita com apoiadores de Trump mostrou que 42% deles acreditavam sofrer preconceito por serem homens héteros brancos. Gente, mas eles ainda ganham mais! Eles ainda podem andar na rua sem medo de assédio.

Temos que concordar com o presidente: é um tempo muito esquisito esse!

E quanto ao juiz, não, essa desculpa de estar bêbado e fazer bobagens é um cliché que não cola. Ninguém vira outra pessoa quando bebe. Tempo difícil esse em que esse tipo de desculpa não cola mais.

Presidente, é muito difícil para nós, mulheres, viver em um tempo em que o comandante de um dos países mais poderosos do mundo dá esse tipo de declaração. Muito mesmo.

Sobre a autora

Nina Lemos é jornalista e escritora, tem 46 anos e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance “A Ditadura da Moda”.

Sobre o blog

Um espaço para falar sobre a vida das mulheres com mais de 40 anos, comportamento, relacionamentos, moda. E também para quebrar preconceitos, criticar e rir desse mundo louco.