menu
Topo
Nina Lemos

Nina Lemos

Pabllo Vittar, no topo e alvo de fake news, é um retrato do Brasil de hoje

Nina Lemos

05/11/2018 12h07

Foto: Divulgação

Pabllo Vittar concorre ao título de mulher mais sexy do ano pela revista "Isto É Gente". Não fosse o surto conservador que acontece no Brasil (me contam que tem gente vaiando um beijo no filme "Bohemian Rhapsody", que conta a vida de Freddie Mercury) talvez essa notícia nem me chamasse atenção.

Não sei se Pabllo Vittar é a mulher mais sexy. Mas, de uma coisa tenho certeza: Pabllo Vittar (e o amor e o ódio que ele desperta) talvez seja uma ótima tradução desse momento louco do país (onde, repito, as pessoas vão ao cinema ver a história de um artista gay e se chocam com um beijo e vaiam uma tela de cinema).

Pabllo, um menino de 24 anos, drag, cantora, é um das estrelas pop de maior sucesso do Brasil. Está quase todos os dias na mídia. Essa semana, estreia como uma das vozes da série de animação da Netflix "Super Drags". E, claro, no momento de surto nacional, milhares de pessoas pedem o boicote à Netflix por exibir um desenho sobre drags superpoderosas.

Socorro! Nem nos anos 70, quase 50 anos atrás, drags causavam esse tipo de reação. Drags famosas são parte da cultura brasileira faz tempo. O programa"Batalha de Drags", estrelado por RuPaul, é sucesso no mundo inteiro. Não, um desenho com de humor com drags não vai destruir a família brasileira. Mas tem quem acredite que sim.

Assim como um monte de gente acreditou que Pabllo Vittar, um dos maiores alvos de fake news no meio artístico, fosse virar ministro da Cultura. As fake news disparadas sobre ele durante as eleições foram tão absurdas que Pabllo gravou um vídeo as lendo e comentando. Uma delas diz que seu rosto seria impresso em moedas de 50 reais, outra que a Globo teria pago para o Vaticano para que Pablo virasse padroeira do Brasil (!!!). Ele mesmo ri ao ler essa notícia.

Pabllo é uma pessoa corajosa. Ri dos haters, diz que é resistência. Não baixa a cabeça. E deve ser por isso mesmo que, usando um ditado antigo, quanto mais batem, mais cresce. Seu canal de Youtube tem 5 milhões de inscritos e seus vídeos chegam a ter mais de 20 milhões de visualizações.

Família brasileira

O aniversário de 24 anos de Pabllo foi comemorado semana passada com sua família completa aparecendo de surpresa no programa "Encontro", aquele tradicional da família brasileira. A tal família assistiu a outra família tradicional: aquela muito comum no Brasil, onde uma mãe criou sozinha os filhos. Hoje, todos trabalham para Pabllo.

Dá para entender porque Pabllo incomoda tanto: ele é livre. E não adianta o boicote dos que acham que ele é uma ameaça ao país. Pabllo não vai parar de fazer sucesso. E, nesse momento de surto, tomara que seja mesmo eleito a mulher mais sexy. E jogue o leite bom na cara dos caretas.

Sobre a autora

Nina Lemos é jornalista e escritora, tem 46 anos e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance “A Ditadura da Moda”.

Sobre o blog

Um espaço para falar sobre a vida das mulheres com mais de 40 anos, comportamento, relacionamentos, moda. E também para quebrar preconceitos, criticar e rir desse mundo louco.