Topo
Nina Lemos

Nina Lemos

Novo seriado da Netflix tem humor ácido sobre envelhecimento masculino

Nina Lemos

2022-11-20T18:04:00

22/11/2018 04h00

Medo da impotência, problemas na próstata, preocupação com os filhos de mais de 40 e a solidão. Esses são alguns dos assuntos abordados na série "O Método Kominsky", que estreou semana passada na Netflix.

Protagonizada por Michael Douglas, agora um senhor de 74 anos, e por Alan Arkin, 84, essa é a segunda série do canal a abordar com humor e honestidade, sem "fofurinhas", o tema do envelhecimento e da morte.

"O Método Komin0sky" pode ser considerada uma versão masculina de "Grace and Frankie", a série que estreou em 2015 e nos ensinou a rir do envelhecimento com as aventuras de duas amigas com mais de 70. "Grace and Frankie" também é protagonizado por superestrelas de Hollywood: Jane Fonda e Lily Tomlin. E, além de nos proporcionar risadas e lições, colocou as duas de novo na mira dos holofotes. A mesma coisa deve acontecer com Michael Doulgas e Alan Arkin. Os sites especializados já apostam que, com esse trabalho primoroso, eles devem ganhar prêmios importantes.

Vovó era a sua avó

De uns anos para cá, as indústrias do entretenimento, da moda e da publicidade resolveram tratar o envelhecimento (e os mais velhos) de forma diferente. Afinal, claro, com o aumento da expectativa de vida e o envelhecimento de gente da geração que mudou o mundo (como Jane Fonda) chegando aos 80, não dá para deixar quem tem mais de 60 de lado, fazendo papel de vovó fofa.

"O Método Kominsky" se encaixa nesse novo momento. Ali está um astro sexy symbol como Michael Douglas (que também é um dos produtores da série) fazendo graças sobre coisas como ter incontinência urinária bem na hora em que você começa a sair com alguém.

Pesado? Sim, e real. Mas o seriado consegue tratar disso de maneira engraçadíssima.

No seriado, que parece conter vários momentos autobiográficos, Sandy é um ex-ator de sucesso de 70 e poucos anos, que é professor de teatro e tem uma vida pessoal e econômica caótica. Sabe aquela idealização de que todos com 70 são calmos e aposentados? Esqueça. O ex-galã, ainda sedutor, vive uma vida não mais organizada do que a dos seus alunos de 20 e poucos anos. Isso, em si, já é uma sacada ótima. Não, estabilidade não está conectada com idade. Nem o tédio.

O outro protagonista é Norman, amigo e agente de Sandy há mais de 40 anos. Norman é o oposto do ator. Tem segurança financeira e foi casado a vida toda com a mesma mulher. A morte dela é o começo para a série. No leito de morte, ela pede que um amigo cuide do outro. E assim eles fazem.

Pode parecer tristíssimo. Mas não é. E os problemas enfrentados pelos dois não são assim tão diferentes dos que Grace e Frankie enfrentam. Preconceito no trabalho? Existe. Quando o agente Norman decide voltar para a empresa em que trabalhava, encontra jovens que usam palavras que ele não conhece, como "streaming".

Se em "Grace and Frankie" uma delas, interpretada por Jane Fonda, vive com pavor de deixar de ser atraente, Norman vive apavorado com o fantasma da impotência.

Juntos, eles tocam em temas pesadíssimos como suicídio de um jeito engraçado (juro). Depois de enterrar a mulher e internar a filha única de 45 anos em uma clínica de reabilitação, Norman não vê mais razões para viver. Pensa em, por exemplo, dar uma de "Thelma e Louise" com o amigo e avançar com o carro heroicamente para uma "jornada final".

É homem e tem medo de envelhecer ou já passou dos 50? Veja, você vai rir e se identificar. É mulher? Assista também e entenda que homens também sofrem com o assunto, claro, mas com peculiaridades que podem passar batidas por nós, como o PAVOR da impotência.

"Eu acho que é importante falar, rir e celebrar o envelhecimento, assim fazemos com que essa fase da vida seja mais entendida no mundo, já que ela não dura muito tempo", disse Alan Arkin no lançamento, fazendo, de novo, piada ácida no ponto. E completou que gostaria de "fazer com que a velhice parecesse menos assustadora com a série". Conseguiram.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Nina Lemos é jornalista e escritora, tem 46 anos e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance “A Ditadura da Moda”.

Sobre o blog

Um espaço para falar sobre a vida das mulheres com mais de 40 anos, comportamento, relacionamentos, moda. E também para quebrar preconceitos, criticar e rir desse mundo louco.