Topo
Nina Lemos

Nina Lemos

Charlize convidada para ser mãe da Mulher Maravilha. E nós, ficamos como?

Nina Lemos

2007-05-20T19:04:00

07/05/2019 04h00

Foto: Getty ImagesCharlize Teron é a atriz rica e linda, vencedora do Oscar de melhor atriz por sua participação no filme "Monster" e famosa por seu talento, beleza e ativismo. Ela acaba de narrar um caso intrigante de preconceito contra idade ocorrido em Hollywood.

Segundo contou, aos  40 anos, ela foi convidada para participar do filme "A Mulher Maravilha". Ficou empolgada por fazer um filme de ação. Até que soube que o convite era para ser… a mãe da Mulher Maravilha. Sim. Chocante.

Parece piada, mas é verdade e a revelação foi feita por ela semana passada no programa de  TV "Watch What Happens Live with Andy Cohen".

Veja também

A personagem da Mulher Maravilha, no filme e na nossa imaginação, não é uma criança, mas uma mulher adulta. Prova: ela foi interpretada no filme de 2017 por Gal Gadot, que tem 34 anos. A diferença entre mãe e filha seria, então, de 6 anos de idade. Bizarro.

Hollywood e a indústria de televisão brasileira também são famosas por aprontar dessas. Uma mulher de 40 anos logo vira mãe de uma de 30. Uma de 50, não raro, pode ser avó de um adolescente. Na maioria dos casos, os atores homens continuam sendo galãs (e não avôs) até a casa dos 60 anos. Como exemplo, temos George Clooney, Robert Redford. E. no Brasil, José Mayer, de 69 anos, que antes de ser afastado da TV Globo acusado de assédio, em 2017, ainda interpretava galãs.

Esse tipo de coisa costumava passar batido, mas não depois de movimentos como o #MeToo e de atrizes falando abertamente na indústria sobre o preconceito. Segundo Charlize, "Hollywood te dá um tapa na cara quando você começa a envelhecer."

"Alguém chegou e me disse: 'Oh, há muita ação neste filme, Mulher Maravilha'. Eu respondi que não estava muito familiarizada com o personagem… 'O que a Mulher Maravilha faz?' E foi aí que me responderam: 'Não, é para fazer a mãe da Mulher-Maravilha'".

Ela disse que, depois disso, entendeu que a indústria de entretenimento é sexista e que algo tinha mudado na sua carreira. Verdade. E ela não é a primeira, e provavelmente não será a última a lidar com esse tipo de coisa. Hollywood tem alguns exemplos chocantes.

Um deles: em 2009, a eterna musa Winona Ryder, então com 37 anos, interpretou a mãe do Dr. Spock em "Star Trek". Como todos sabem, o Dr. Spock não é uma criança e muito menos um adolescente. Na versão de 2007, ele foi interpretado pelo ator Zachary Quinto, de 40 anos. Sim, a "mãe", no caso, era três anos mais nova que o filho.

No Brasil não é diferente. Na novela da Globo "Segundo Sol", por exemplo, a personagem de Adriana Esteves era mãe da interpretada por Deborah Seco. Tudo ótimo, não fosse o fato de Adriana ter 49 e, Deborah, 39. Adriana teria sido mãe aos 10! Uma das maiores atrizes de sua geração, também já foi mãe de Cauã Reymond, na clássica novella "Avenida Brasil." Ela é apenas 11 anos mais velha que ele.

Quem sofre com isso não são só as atrizes, seja de Hollywood ou do Brasil, mas nós, mulheres comuns, também. Afinal, esses são nossos exemplos. Uma mulher mãe de um cara de 30 e muitos, vai começar a se achar "acabada" se não for tão jovem e sarada como uma mulher de 50 anos. Ou, no caso radical da Charlize, o que esperar se temos como exemplo uma atriz como ela de mãe de uma mulher de cerca de 30? Vamos nos comparar e nos sentir um lixo, claro. Ainda mais que, obviamente, não somos atrizes de Hollywood, não vivemos da nossa imagem.

Falando nisso, quantos anos vocês acham que têm as donas de casa dos comerciais de TV? Sim, em geral elas são modelos de 20 e poucos anos. E ainda querem que a gente fique o tempo todo bem com a nossa imagem. Para isso, o mundo bem que podia contribuir…

 

 

 

 

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Nina Lemos é jornalista e escritora, tem 46 anos e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance “A Ditadura da Moda”.

Sobre o blog

Um espaço para falar sobre a vida das mulheres com mais de 40 anos, comportamento, relacionamentos, moda. E também para quebrar preconceitos, criticar e rir desse mundo louco.