Topo
Nina Lemos

Nina Lemos

Cleo Pires chamada de gorda é prova de que ditadura da magreza não diminuiu

Nina Lemos

10/07/2019 04h00

(Reprodução/ Instagram)

Pensem em um exemplo de mulher brasileira linda e dentro do padrão. Uma das primeiras que vêm à cabeça é a atriz Cleo Pires.  Bem, exemplo de beleza, e, repito, totalmente dentro do padrão, está há uma semana sendo criticada por causa do seu peso.

A atriz está sendo chamada de gorda, acabada, estragada. Repito: a Cleo!  Se até uma mulher maravilhosa como ela é atacada pelos sommeliers de corpo, bem, o que será de nós, pobres mortais? Que padrão é esse, que vai para cima de uma mulher assim chamando de "destruída"?

Veja também

Os ataques começaram semana passada, quando ela apareceu com um modelo que desagradou no MTV Millennial Awards (MTV MIAW). No meio da semana, ela escreveu no Instagram:

"Oi, galera, passando aqui para dizer que nesse tempo de carreira, enquanto você esperava que eu correspondesse a sua expectativa sobre a minha magreza, eu estive pressionada a me manter no padrão estético sufocante que esperavam de mim. São muitas marcas e muito abismos. Sempre fui transparente sobre procedimentos estéticos pois nunca foi meu objetivo ser um padrão de beleza natural inalcançável. E parece que estão usando minha franqueza contra mim… não dá mais para neutralizar certos comentários porque penso no tanto de meninas e mulheres que sofrem com distúrbios alimentares e emocionais por conta de um padrão de um padrão irresponsável, inalcançável e cruel".

Ela continuou dizendo que engordar e emagrecer era NORMAL.

Certíssima.  

Que mundo é esse? As coisas não tinham melhorado? As pessoas não estariam abraçando a diversidade? 

Há tempos são os jovens que adoecem

Bem, parece que não. Esse parece ser o mesmo mundo onde ouvi, uma vez, uma modelo famosa ser chamada de obesa. Há dez anos, Karolina Kurkova veio desfilar na SPFW. As pessoas ruminavam na primeira fila: "ela está muito goooorrrda", "obesa!".

Com cara de nojo, a moça era detonada e chamada de antiprofissional. "Como uma modelo viaja para o Brasil nessas condições?" No mesmo ano, ela foi eleita a mulher mais bonita do mundo pelo canal "E".

Bem, isso faz DEZ ANOS! De lá para cá, dizem (e muitas vezes eu acredito) que os padrões estão mudando. As meninas plus size exibem seus corpos com orgulho no Instagram. Revistas como "Vogue" e "Cosmopolitan", algumas das grandes fábricas de padrões no mundo, já exibiram meninas plus size em suas capas, assim como marcas grandes como a Nike fizeram isso em suas campanhas. O mercado da moda e da publicidade fala o tempo todo em inclusão, diversidade. Mas será que os padrões mudaram?

Sinceramente, quando vejo a Cleo sendo criticada, fico achando que essa mudança de padrão é mais "para inglês ver". No fundo, a sociedade, a moda e, por consequência, muitas mulheres, continuam achando que precisam seguir um padrão rigoroso e criticado outras mulheres.

Alguns comentários feitos sobre aquela deusa na internet esses dias, feitos por mulheres:

"A Cleo Pires se perdeu total no rolé" 

"A Cleo Pires está horrível" 

É desanimador. Um dia a gente acha que as coisas melhoraram porque mulheres gordas estão sendo incluídas na moda.  Outro dia, um programa de TV dedica quase todo seu tempo a… ser sommelier do corpo da Cleo. Debater gordura de mulher ainda dá audiência. E, ei, meninas que criticam estão sofrendo de síndrome de Estocolmo! Vocês estão presas dentro de um padrão que faz mal PARA NÓS, reforçando um padrão impossível. Não conseguem perceber? 

"Tendência osso"

"Quando entrei na televisão ouvi de um produtor que tendência era osso aparecendo". A frase foi dita pela atriz e influencer espanhola Violeta Mangriñán causou polêmica no mundo todo. A atriz, que saiu de um reality show por motivos de saúde, está pesando 45 quilos. E, claro, sofrendo críticas e sendo alvo de boatos de que estaria anoréxica. "Não aguento mais ouvir que estou anoréxica", ela disse. Estou bem, e, sim, estou me achando linda, acho esse corpo perfeito para biquíni."

Se ela gosta do corpo dela, ótimo. E não, não tem nada de legal em chamar uma mulher de anoréxica no Instagram. No fundo, esse é o outro lado da mesma moeda. Engordou. "Gooooorda", gritam. Emagreceu muito: "anoréxica!". Os sommeliers não param e nunca se dão por satisfeitos.

O que parece: Violeta está sendo sincera. Ela deve ter, sim, ouvido, sobre a "tendência osso", que, sinceramente, existe há décadas. E, infelizmente, parece que vai demorar mais muito tempo para mudar. Por mais que comerciais estejam mais inclusivos, bem, até a Cleo é chamada de gorda… Se fosse, não deveria sofrer críticas. Mas ela nem é.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Nina Lemos é jornalista e escritora, tem 46 anos e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance “A Ditadura da Moda”.

Sobre o blog

Um espaço para falar sobre a vida das mulheres com mais de 40 anos, comportamento, relacionamentos, moda. E também para quebrar preconceitos, criticar e rir desse mundo louco.