Topo

Na moda, o feio é o novo bonito. E isso não é exatamente uma piada

Nina Lemos

25/10/2019 04h00

Divulgação Balenciaga

Calça de cintura alta "baggy" (era assim que a gente chamava nos anos 80/90), junto com uma pochete, um moletom largo e amassado. Nos pés, um tênis branco (ou uma sandália) usado com meia preta. Baile do cafona? Tiozinho em casa aposentado que não liga para moda? Não, moderno, hipster, descolado! 

Há alguns meses, passei a ver as pessoas mais chiques se vestindo assim, como se estivessem usando várias coisas misturadas, tipo crianças quando a mãe deixa mexer no armário. Detalhe: eu moro em uma cidade que é considerada por muitos uma das mais modernas do mundo: Berlim. Eu não tenho tanta certeza de se Berlim é essa modernidade toda. Mas de uma coisa eu sei, quando uma coisa vira moda por aqui, em alguns meses chega no Brasil (preparem-se!).

Veja também

Pois bem, eu estava no metrô, vendo jovens com calças muito largas pescando siri e mostrando a canela. Os mais chiques usavam meia preta com tênis branco (quanto mais "feio" o tênis, mais bonito. Sim, é bizarro). Eu me senti em um baile do cafona, até que olhei para a minha perna. Eu estava com um jeans meio largo, rasgado, dobrado na barra e… com meia preta e tênis rasteiro tipo keds (cruzes) bege!  Ou seja, eu tinha sido abduzida e estava, de alguma forma, fazendo parte da festa do ridículo. 

Passei a observar as pessoas na rua com mais atenção e a tirar fotos delas e, sim, principalmente os mais jovens e modernos estavam vestidos de propósito com roupas "feias", e eu estava achando bonito. Os casacos, por exemplo, são aqueles de "nylon" gigantes, como se fossem te engolir. Tudo desproporcional. Como se você tivesse roubado de alguém.

Podem rir. É maluco. Mas é assim que a moda funciona. A gente passa anos achando uma coisa feia. De repente, de tanto ver as pessoas usando, passa a achar bonito. A moda abduz as pessoas mais sensíveis (tipo eu). 

Pesquisei o assunto e eu não estava vendo coisas. A tendência do momento é "o feio", a ugly trend.  Sim, a moda se superou! Depois do nude ser o novo preto, agora… o feio é o novo bonito!!! 

Ou seja, tudo que a gente aprendeu a odiar por anos agora é moderno e muitos de nós passam a… achar bonito! 

Tudo começou com a pochete (me recuso) e o chinelo Rider (comprei um), mas foi piorando. A pochete passou a ser usada com as tais calças baggy que amaldiçoamos por décadas. E Riders, com meia preta. E se você juntar tudo isso no mesmo look vai estar chiquérrima.

  

"Sim, o que a gente achava que era feio agora é bonito", diz o stylist Rogério S.

"Eu tenho um amigo de 20 e poucos anos que usa sempre roupa larga e chinelo com meia. Mas ele é muito novo, não tem a referência daquilo como feio", diz. Segundo ele, nós, que passamos dos 40, acabamos adaptando (ou não) os nossos olhos. "São os ciclos da moda. Se você gosta de moda e estilo, acaba achando bonito, é inconsciente", diz. Rogério conta que hoje em dia usa mocassim de franja vinho com meia marrom (algo impensável anos atrás) e que cortou uma calça dos anos 90 bem larga para que ficasse curta, pescando siri. "Não adianta, a gente se olha no espelho e pensa, aí sim."

E ele vai além. "Logo a calça de cintura baixa vai estar na moda de novo. A gente achava lindo em 2000. Hoje, os jovens acham horroroso." E avisa: "hoje a gente acha bonito calça larga curta. Mas a próxima tendência é usar calça maior, enbolada para cima do jeans, como a gente usava nos anos 90 e achou horrível por anos."

Chequei os catálogos da grife lançadora de tendências Balenciaga e… adivinhem! Os jeans embolados estão todos lá,  como você pode ver na foto que abre esse texto.

A moda é uma maluquice que entra na nossa cabeça. Mas melhor ser um maluco consciente da própria loucura. Por isso, saiba que você está achando coisas "feias" bonitas porque elas estão na moda. E que, provavelmente, vai voltar a achar que são feias de novo depois.

A moda se faz de louca

Segundo a jornalista de moda Vivian Whiteman, uma das grifes que lançou a tendência foi mesmo a Balenciaga. "Eles começaram esse movimento de fazer as pessoas acharem bonitas coisas que antes achavam feias. Lembrando que o estilista (Demna Gvasalia, da Georgia) é do leste europeu, cresceu no comunismo, sem acesso a esses bens de consumo dos anos 80. O que já era cafona no ocidente, chegava para eles como nova informação de moda. E aí eles cobram fortunas por isso e as pessoas pagam. Eu acho que é a coisa perversa de sempre da moda, que se finge de louca, que não liga para nada e, de repente, depois que todo mundo comprou, a tendência acaba."

Vivian tem outra explicação para a moda do feio esculhambado. "O mundo está um caos. Como aquele meme dos adolescentes que dizem: não vou nem arrumar o meu quarto porque o mundo está uma bagunça".

A moda, segundo ela, pode refletir essa confusão. Verdade. Já pensou sair todo combinadinho em épocas tão malucas? Não faz sentido.

E… se prepare, logo você vai achar que sandália de borracha (usei muito nos anos 80) usada com meia é lindo. E isso tudo com jeans curto demais ou esbarrando no chão… Socorro!

Sobre a autora

Nina Lemos é jornalista e escritora, tem 46 anos e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance “A Ditadura da Moda”.

Sobre o blog

Um espaço para falar sobre a vida das mulheres com mais de 40 anos, comportamento, relacionamentos, moda. E também para quebrar preconceitos, criticar e rir desse mundo louco.

Nina Lemos