Topo

Se até Paolla e Scarllet tem corpos criticados, como ficam as "mortais"?

Nina Lemos

29/11/2019 04h00

Há mais de 15 anos, eu  tinha um site aqui no UOL com duas amigas chamado 02 Neurônio. Uma vez, escrevi sobre a "Síndrome de Brad Pitt", que era uma espécie de distúrbio masculino causado por autoestima inflada.

Claro, a síndrome não atinge todos os caras. Mas os acometidos se olham no espelho e vêem uma imagem tão bela como a do Brad Pitt. E, talvez por isso, se achem no direito de criticar detalhes estéticos em mulheres. Bem mesmo se eles fossem deuses da beleza, não poderiam criticar, certo? Lembrei disso quando vi os recentes ataques a duas mulheres padrão capa de revista de moda: Paolla Oliveira e Scarlett Johansson.

Veja também

E não, eu não estou brincando! As duas, completamente dentro do padrão, foram criticadas por causa dos seus corpos nos últimos dias.

Paolla foi criticada depois de uma cena na novela e ao postar uma foto no Instagram onde é possível ver celulites. Eu, sinceramente, só vi porque o título da matéria dizia. Tive que procurar. Passaria batido. Ali estava, apenas, uma mulher.

 

Ontem, Paolla foi à praia e postou fotos com um biquíni minúsculo. Ela estava, como sempre, linda. O que li por aí?  "Após mostrar celulites, Paola volta a ostentar bumbum imenso de fio dental." Atenção para essa palavra: IMENSO. "Paolla Oliveira ignora críticas e curte praia."  Paolla é vista como uma mulher corajosa por ir à praia! E, depois de ler as críticas, até achei que era preciso coragem mesmo. Mas, como assim? Está todo mundo doido? Desde quando uma mulher tem que se munir de coragem para fazer uma coisa simples como ir à praia. A gente não estava melhorando? Vendo beleza em todos os corpos etc.?

Pois bem, resolveram também ver celulite na  Scarlett Johansson, uma das mulheres mais bonitas do mundo. Sim, alguém pegou uma lupa para olhar suas fotos e fez o diagnóstico: celulite! 

Se até mulheres padrão ideal Globo – Hollywood são criticadas, como vão se sentir as mulheres que nunca vão chegar nesse padrão? E as pessoas gordas que sofrem gordofobia, uma questão que vai muito além da pura pressão estética, e faz com que mulheres, por exemplo, sejam discriminadas em locais de trabalho?  

Estávamos avançando e agora regredimos?

Um dos palpites é que as coisas tenham piorado em tempos de redes sociais. As imagens que vemos nas redes (e admiramos, sendo homens ou mulheres)  não são reais. Elas são superperfeitas, mais que as musas de Hollywood. Afinal, são corpos que não existem. Muitos deles foram photoshopados, trabalhados com filtros, recortados.

Muitas blogueiras têm, por exemplo, o hábito de diminuir a cintura nas fotos. Na vida real, aquelas cinturas seriam tipo da Barbie, ou seja, não teria lugar nem para as costelas. 

Não é novidade que os efeitos das fotos estão deixando as mulheres infelizes. Algumas, inclusive, buscam cirurgias plásticas para que ficarem mais parecidas com as imagens que veem nas fotos! Sim, é assustador.  Falamos tanto em empoderamento, imagem positiva do corpo, que todos os corpos podem ser bonitos e… onde estamos? Achando que mulheres como Paolla Oliveira são até corajosas por mostrarem seus corpos com 0,01% de "imperfeição". Tomara que até o verão todos se curem dessas síndromes e apenas aproveitem a praia. 

Sobre a autora

Nina Lemos é jornalista e escritora, tem 46 anos e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance “A Ditadura da Moda”.

Sobre o blog

Um espaço para falar sobre a vida das mulheres com mais de 40 anos, comportamento, relacionamentos, moda. E também para quebrar preconceitos, criticar e rir desse mundo louco.

Nina Lemos