PUBLICIDADE

Topo

Caso Flordelis é o exemplo do falso moralismo do Brasil atual

Nina Lemos

02/09/2020 04h00

A história é um conto de terror e piora todos os dias. Depois de ser denunciada como mandante do assassinato do marido, a deputada, cantora e pastora Flordelis, que ficou famosa, entre outras coisas por ter 55 filhos adotivos e ser uma defensora dos direitos das crianças e dos adolescentes, agora é acusada, segundo testemunhas do caso, de fazer sexo com "os filhos". 

O pastor Anderson do Carmo foi morto em junho de 2019. Na época a deputada disse ser um assalto. Hoje, Flordelis é acusada de ter planejado a morte do marido junto com alguns dos filhos. 

Seria horrível de qualquer maneira, seja quem fosse que estivesse sendo acusado de tais crimes.  Mas um "detalhe" na história torna tudo ainda mais assustador. Flordelis foi a deputada federal mulher mais votada do Rio de Janeiro, com 200 mil votos. E foi eleita justamente pregando os valores da família e a "defesa" das crianças e dos jovens com defesa fanática de valores conservadores. Mas isso, claro, com toda uma aura de "vida perfeita", "magnânima", "cheia de bondade e amor". 

Veja também

Em seu canal no Youtube e em programas de entrevistas (ela conseguiu enganar a produção de praticamente todos os programas, de Xuxa a Ana Maria Braga) Flordelis contava sobre a sua família e exalava bondade e desprendimento em relação ao próximo. Ela frequentemente exibia as crianças em vídeos e uma imagem de família feliz.

Mas nem tudo era amor. Pelo contrário. Antes mesmo de ser eleita, Flordelis já transbordava ódio. Em um dos seus vídeos de pregação, disponível em seu canal e em outros canais evangélicos do youtube, ela fala, exaltada: 

"Prostituição não é profissão, é pecado. Hoje ninguém mais bate no pecado porque tem medo de ser presa. Pode me prender. Eu vou continuar a dizer que prostituição e homossexualismo não é de Deus (sic). Meu Deus fez homem e mulher, o que passa disso é de procedência maligna!!!", ela fala, aos berros, em um vídeo de 2017.

Bem, se Flordelis acha que prostituição é pecado, o que será que ela acharia de tráfico sexual? Por que uma das acusações feitas contra ela e o marido, segundo depoimento de testemunha exibido no Fantástico, é a de que eles praticavam tráfico sexual. Afinal, ela teria oferecido uma das filhas como "presente sexual para pastores estrangeiros".  

Existe coisa mais "maligna?"

Quando vi o vídeo de Flordelis falando essas atrocidades (não recomendo), além de me chocar com o tão longe que o falso moralismo pode chegar, lembrei de amigos gays que são pais adotivos (e são pais amorosos e dedicados). Eles, sim, devem estar chocados ao ver como os filhos adotivos de Flordelis eram tratados.  Afinal eles, de verdade, se preocupam e representam o que deveriam ser os reais valores familiares: respeito e proteção das crianças. 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Nina Lemos é jornalista e escritora, tem 46 anos e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance “A Ditadura da Moda”.

Sobre o blog

Um espaço para falar sobre a vida das mulheres com mais de 40 anos, comportamento, relacionamentos, moda. E também para quebrar preconceitos, criticar e rir desse mundo louco.