PUBLICIDADE

Topo

Rita Cadillac é criticada por receber auxílio. Certo é quem ostenta?

Nina Lemos

27/05/2020 04h00

Foto: Simon Plestenjak

Estamos vivendo uma crise econômica mundial. Analistas dizem que essa será a primeira recessão global vivida pela nossa geração. Muitas pessoas estão perdendo trabalho. Entre eles, estão alguns famosos – artistas e celebridades que vivem de shows, peças e presenças VIPs não estão tendo mais trabalho. Afinal,, todos os eventos foram cancelados.

Nesse momento, cada um vai se virar como pode. Um exemplo disso é a atriz Rita Cadillac. Ela, que vive de presença nos tais eventos e shows, e com 65 anos ainda trabalha, disse que entrou com o pedido para receber os 600 reais de auxílio emergencial do governo. E que foi contemplada.  

Veja também

Certa está ela, que paga seus impostos e, em um momento desses, pode contar com uma ajuda. Pena que a ajuda não foi maior.

Mas, bem, o fato de uma artista pedir auxílio causou escândalo e … críticas.

Enquanto alguns falavam que ela estava "miserável" (o que não é o caso), outros diziam que ela, por ser "rica" (o que ela diz também não ser o caso) estava sendo uma "sem vergonha". 

"Não entendi o auê. Não exigi nada. Fui lá e pedi e fui contemplada", disse a dançarina. Em entrevista, ela disse que vai usar o dinheiro para pagar o condomínio e que isso vai ser um alívio em suas contas.

Qual o problema? Assumir que está sem dinheiro é feio? Vamos continuar achando que o bacana é ostentar no meio de uma crise dessas? Que as pessoas precisam "se explicar por precisar de ajuda?" 

Questão de status

O problema, acho, ainda é o tal "status". Quem precisa de ajuda econômica, ainda é visto como alguém que "está na pior." Sendo que, no momento, a maioria de nós está sim, precisando de dinheiro. E isso não tem nada de errado.  

Chato mesmo é viver de aparência, ostentando uma vida sem perrengue quando isso não é a realidade. Que a crise sirva para a gente, pelo menos, refletir sobre isso.  

Foi aprovado ontem o projeto que possibilita que artistas e todos trabalhadores da cultura sem trabalho na crise recebam dinheiro do governo enquanto estão sem trabalho,.  E se vários famosos que precisam de dinheiro se inscreverem, serão julgados?

Um detalhe: vários países afetados pelo Coronavírus estão concedendo auxílio para artistas e freelancers. Na Alemanha, por exemplo, o valor pode chegar a 9 mil euros (mais de 50 mil reais). Em geral, quando é fora do Brasil, parece mais chique. Mas não é a mesma coisa? E tem algo de errado nisso? Não, muito pelo contrário. Rita Cadillac, desmistificando isso, está é ajudando a acabar com algo que não devia ser tabu…

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Nina Lemos é jornalista e escritora, tem 46 anos e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance “A Ditadura da Moda”.

Sobre o blog

Um espaço para falar sobre a vida das mulheres com mais de 40 anos, comportamento, relacionamentos, moda. E também para quebrar preconceitos, criticar e rir desse mundo louco.