menu
Topo
Nina Lemos

Nina Lemos

Madonna, que luta contra ageísmo, lança música nova e é julgada pela idade

Nina Lemos

2018-04-20T19:17:46

18/04/2019 17h46

A cantora Madonna lançou um single novo depois de quatro anos. Isso é, sim, um assunto importante, que deixa seus fãs histéricos. Uma música nova da Madonna faz todo mundo que gosta de cultura pop parar para ouvir. Ainda mais depois de tanto tempo sem lançamento. Normal.

Com grande expectativa, Madonna lançou essa semana Medellín, onde canta com o músico colombiano Maluma. Muitos gostaram da música, muitos odiaram. Até aí, normal.

Veja também

O que choca: Madonna, a pessoa do mundo pop que mais luta contra o preconceito com idade está… sofrendo uma avalanche de preconceito por ter 60 anos enquanto lança o disco. Ela estaria se portando como uma garotinha, agindo como uma adolescente, perdido a mão porque ficou velha.

Em outras palavras, não estaria agindo de acordo com o que se espera que uma mulher de 60 anos aja (ficando quieta, vestida de bege, muda ou morta). A própria Madonna já disse uma centena de vezes que uma mulher não podia cometer o crime de envelhecer porque seria atacada. Bem, jornalistas, ouvintes, parece que ninguém ouviu o que ela disse.

Li praticamente todas as críticas gringas. Boa parte delas delas destaca o fato de Madonna ter 60 anos. Bem, o aniversário dela foi em AGOSTO DO ANO PASSADO. Ela comemorou, todos falamos disso etc. Agora, o que tem a ver o novo disco com o fato dela ter 60 anos? Para vários críticos, muita coisa, e o preconceito escorre.

Trecho encontrado na critica do New York Post: "É difícil imaginar o que a rainha do pop estava pensando quando gravou esse, que é um dos piores singles de sua carreira, que tem tantos momentos memoráveis. Ter feito 60 anos em agosto fez ela perder a mão?"

Olha! O crítico pode até achar que ela perdeu a mão. Mas qual a conexão disso com ter 60 anos? Você faz uma idade redonda e… pronto, ferrou? Difícil é imaginar como alguém pode escrever uma bobagem dessas…

Os jornais sensacionalistas jogaram mais pesado. No tablóide "Daily Mail", contei a palavra 60 anos cinco vezes no artigo, que, ao contrário desse aqui, não era sobre o preconceito sofrido por Madonna, mas sobre a música e o clipe. Eles avisam que "Aos 60, Madonna aparece fumando e vestida de noiva com chapéu cowboy".

Como ousa?

Alguns fãs vão no mesmo caminho e dizem que Madonna está se portando como uma garota de 25 anos. Eu pergunto: existe uma maneira certa de se portar aos 60 anos? Sério? E se existe, bem, acho que só vale para mulheres, não é? O maravilhoso Mick Jagger está ai, aos 75, lindo, saltitando, tendo filhos e sendo chamado de gato estiloso.

Meu ídolo Iggy Pop , 72, continua ativo,  orgulhoso de suas rugas, pulando como nos tempos de juventude sem camisa, se jogando no chão e dando mosh, como fazia quando era um punk de 20 e poucos anos. E não, não estou falando mal deles, é o contrário. Por favor, Mick e Iggy, não parem de ser vocês nunca!

Um dos fatos que parece ter incomodando muito as pessoas foi Madonna escolher para um dueto um cantor de 25 anos. Um comentário lido no youtube da cantora era que: "ela estaria roubando colágeno do cantor". Bem, Mick Jagger tem uma banda paralela aos Stones, a Super Heavy, com a cantora Joss Stone, de 32. Não ouvi comentários negativos sobre isso. E nem deveria, certo, afinal, qual é o problema?

O problema, a gente sabe, é quando uma mulher com 60 resolver ser sexy (e Madonna é) e falar coisas como "vamos viajar juntos, baby" ou "se nos apaixonarmos, podemos nos casar" para um garoto de 25 anos. Inverta os sexos. Desde quando um homem de 60 cantar isso com uma mulher de 25 seria um escândalo? Desde nunca.

Olha, Madonna, só por causar tanta polêmica e incomodar desse jeito… você enche a gente que passou dos 40 de apego pelo seu disco…

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Nina Lemos é jornalista e escritora, tem 46 anos e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance “A Ditadura da Moda”.

Sobre o blog

Um espaço para falar sobre a vida das mulheres com mais de 40 anos, comportamento, relacionamentos, moda. E também para quebrar preconceitos, criticar e rir desse mundo louco.