PUBLICIDADE

Topo

Fernanda Montenegro aos 90 parece mais jovem de alma que a maioria de nós

Nina Lemos

16/12/2019 04h00

Paulo Belote/ TV Globo/ Divulgação

"Espero descansar um pouco. Esse ano eu trabalhei muito. Foi dos anos que eu mais trabalhei." A declaração não é minha, nem de uma amiga da minha idade ou de uma colega de 30 e poucos anos, mas de uma mulher de 90 anos. Essa mulher é Fernanda Montenegro. A atriz que estrelou em 2019 três filmes, lançou biografia e participou de uma novela. Ufa.

Mas não foi só isso. Fernanda deu uma lição na gente que vive reclamando "que ninguém faz nada", ou que deixam de falar o que pensam com medo de se queimar. Ela passou o ano sendo atacada por integrantes do governo. Enfrentou todas as brigas. Falou o que muitos de nós, tão jovens se comparados a ela, não falamos por medo de ataques, de causar polêmica.

Veja também

Semana passada, na abertura do Festival de Cinema do Rio (porque ainda tem essa, Fernanda ainda cumpre intensa agenda cultural e social) ela disse uma frase impactante ao comentar o fato da direção da Ancine ter tirado pôsteres de filme do escritório da organização que deveria cuidar exatamente do cinema brasileiro. "É uma gestão assassina. Se pudessem, colocariam todos nós no paredão e atiravam em nós com metralhadora."

Ver uma senhora de 90 anos falar isso é chocante. Assim como é de surpreender a sua coragem de falar sobre um sentimento que muitos artistas sentem no momento no Brasil. Mas falar, assim, direto? Melhor não se queimar. Fernanda, no auge do seu talento e inteligência, não carrega esses medos pequenos e não está nem aí.

Outra prova de sua juventude de espírito, aquela que nos deixa livres. Ela posou, vestida de bruxa, em cima de uma fogueira. A imagem, publicada na capa da revista "Quatro Cinco Um", mostrou exatamente o que ela anda dizendo por aí. Ela, atriz, no momento é vista por muitas como uma bruxa, que precisa ser queimada. 

Quantos de nós não deixariam de fazer algo assim por medo das reações, medo dos haters? Fernanda não teve medo. E, sim, os ataques vieram. Os ataques não param, são baixos e não têm com eles nenhum respeito pelo fato de Fernanda Montenegro, veja bem, além de ser uma das melhores atrizes brasileiras, um patrimônio nacional, ser uma senhora de 90 anos. Você falaria assim com a sua avó?

Pois o diretor da Funarte, Roberto Alvim, disse, entre outras coisas, que Fernanda era "sórdida" e "hipócrita". Claro, na hora em que uma autoridade fala isso, todos os anônimos da internet, corajosos pelo anonimato das telas foram para cima literalmente chamando a atriz de vagabunda.

Isso foi no meio do ano. As declarações de Fernanda sobre a vontade de certos setores "de nos colocarem no paredão e nos matar" foi dada semana passada. Ou seja, Fernanda não se calou em nenhum momento e se tornou uma das maiores ativistas pela arte no Brasil. E, pelo jeito, não pretende deixar de ser tão cedo.

Curioso que outra ativista em destaque em 2019 tem 81 anos. E é ela, Jane Fonda, que já foi presa 4 vezes em protestos climáticos. Em entrevista publicada ontem na revista "Veja", ela afirmou: "a maioria das pessoas presas em protestos climáticos são mulheres mais velhas. As mulheres se tornam mais forte quando amadurecem."

Só nos restar torcer para conseguir ter 10% da coragem de uma Fernanda quando a gente, enfim, amadurecer…

 

 

Sobre a autora

Nina Lemos é jornalista e escritora, tem 46 anos e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance “A Ditadura da Moda”.

Sobre o blog

Um espaço para falar sobre a vida das mulheres com mais de 40 anos, comportamento, relacionamentos, moda. E também para quebrar preconceitos, criticar e rir desse mundo louco.

Nina Lemos